PETAR, 19 a 22 de Junho – Relato de atividades GPME e galeria de fotos

A_Cabeçalho

Foco nos objetivos!

A espeleologia sistemática segue essa regra, cada nova descoberta é fruto dos trabalhos anteriores, e somente com foco na continuidade, e a analise lógica dos potenciais de cada caverna e o sistema espeleológico, os resultados aparecem.

Como explicar novas descobertas em cavernas amplamente exploradas há décadas?

Sem duvida as inovações tecnológicas favorecem, as modernas iluminações permitem a visualização de possibilidades superiores antes não observadas, mas sem duvida o foco nos objetivos é o principal fator.

No último feriado, de 19 a 22 de junho, voltamos para o PETAR dar continuidade nas explorações e documentação da Gruta das Areias de Baixo (Areias II) e Caverna de Santana (Caverna do Roncador – Krone 1909) e o histórico de atividades mais uma vez foi generoso.

Para variar a maioria dos participantes da atividade chegaram ao Bairro Serra na madrugada do dia 19, por volta das 04:00 da manhã acumulando o cansaço da viagem, do horário, e da rotina profissional de cada um. O reflexo é obvio, acordar tarde é uma necessidade, afinal de contas o corpo descansado faz parte da pratica segura da espeleologia.

Dia 19 de Junho

Saímos por volta das 13:00 rumo a Gruta das Areias de Baixo, com objetivos bem definidos, mapear a Galeria Dia D, descoberta no ultimo feriado de 1º de Maio, e explorar outra possibilidade superior com potencial de vastas proporções avistada também nessa data. Essa base do salão foi acessada em duas ocasiões anteriores (ambas na década de 60) pela Sociedade Excursionista Espeleológica (SEE) e pelo espeleólogo Luís Guilherme Assumpção (Meca), companheiro de explorações de Michel Le Bret, mas que não efetuaram a escalada e consequente exploração, deixando marcado o ultimo ponto acessado.

A necessidade de uma escalada artificial em local repleto de lama e um tanto escorregadio era a causa obvia dos exploradores na década de 60 não avançarem acima.

 

A descoberta do Salão Vitalino e Rede Bota Lisa

Munidos de tecnologia, furadeira a bateria que adianta muito o trabalho de equipagem, e demais equipamentos, vencemos o primeiro lance vertical em aproximadamente 1 hora e meia de trabalho, rendendo a descoberta do Salão Vitalino, mas que não era o ultimo ponto, sendo necessária outra escalada para alcançar o ponto mais alto, denominado Rede Bota Lisa, tudo devidamente mapeado e agregando mais desenvolvimento a Gruta das Areias de Baixo. Por hora estimamos um desenvolvimento entre 150 a 200 metros de descobertas. O mapeamento está sendo trabalhado em escritório e as medidas corretas e mais detalhes da exploração serão tratados em postagem futura.

Como essa exploração consumiu mais tempo do que imaginamos, abortamos o mapeamento da Galeria Dia D, e ainda assim saímos por volta das 02:00 da manhã, meia hora de trilha, mais 45 minutos de estrada, e uma revigorante sopa quente nos esperava antes de dormirmos por volta das 05:00 da manhã do dia 20.

Antes de dormir decretamos o dia 20 como descanso, churrasco e um pouco de Copa do Mundo.

 

Dia 21 de Junho

Conseguimos sair cedo e seguimos para a Caverna de Santana, também com objetivos definidos, escalar outras duas possibilidades verticais e explorar uma histórica continuidade no Salão Ester, descrita na década de 60, e até hoje não localizada.

No meio do caminho na Galeria do Rio Roncador as equipes se dividiram, a equipe de escalada iniciou a primeira conquista e a outra equipe seguiu rumo ao funda da caverna.

Nem sempre tudo dá certo, e a primeira escalada, que levou por volta de 1 hora, foi frustrada pela não continuidade esperada. Faz parte… Escalada desequipada e rumo ao segundo ponto potencial, um pouco antes do primeiro trecho de natação na Galeria do Rio Roncador.

Enquanto isso a equipe do Ester esmiuçava cada possibilidade, circulava por entre os blocos desmoronados, voltava ao mesmo ponto e após mais de 4 horas de tentativas encerraram a atividade. Nem sempre tudo dá certo, faz parte…

O relatório da década de 60 está sendo confrontado com a topografia da caverna a fim de se tentar entender aonde seja exatamente esse ponto de continuidade, e se não existe algum equivoco na descrição, que pode estar citando trecho já mapeado.

 

A descoberta da Galeria Sete Léguas

As equipes se encontram novamente e a escalada após quase 3 horas havia alcançado uma nova continuidade superior, denominada Galeria Sete Léguas, com aproximadamente 50 metros de desenvolvimento, mas com continuidade ampla que exige uma longa conquista em escalada na horizontal. Por questões técnicas e de segurança, a topografia desse trecho somente será efetuada após o término da conquista. Os detalhes da conquista, descoberta, e dados espeleométricos também serão tratados em postagem futura.

 

Parceria de desenvolvimento com as Cordas Plasmódia

Fechamos recentemente uma parceria com a fabricante de cordas Plasmódia com o objetivo de testar as cordas no ambiente subterrâneo pelo período de um ano e assim auxiliar no desenvolvimento técnico do produto.

Para os testes foram cedidos 250 metros de cordas em três modelos com características e diâmetros diferentes, além de cordeletes de 6mm e 7mm para usos diversos.

Já utilizamos as cordas em nosso Simulado de Resgate realizado na Gruta do Riacho Subterrâneo no mês de Abril, em explorações no Parque Estadual Intervales, e agora nesse ultimo feriado, quando as cordas tiveram seu uso mais severo.

Agradecemos a Plasmódia pela oportunidade da parceria, pela cessão do material, e pelo reconhecimento em nos qualificar para a realização dessa análise técnica!

 

A_Rodapé

 

Log Sintético da atividade:

* 19 a 21 de Junho de 2014

Iporanga-SP, PETAR – Lageado: Gruta das Areias II (SP 019), Exploração Vertical, Topografia Filmagem e Fotografia.

Iporanga-SP, PETAR – Núcleo Santana: Caverna de Santana (SP 041), Exploração Horizontal, Exploração Vertical, Filmagem e Fotografia. 

GPME: Angelo Roncolato, Antonio Fábio Gomes, Daniel Vettori Suzuki, Douglas de Carvalho, Eduardo Salton Marques de Souza, Ericson Cernawsky Igual, Gilson Tinen, Judivam Rodrigues dos Santos, Marcello Cyrillo Vazzoler, Patrícia Lúcia Pereira, Valdirene Glória Carneiro dos Santos e Vanessa Tatiane Reis dos Santos.

Aspirantes a sócio GPME: Bruno Daniel Lenhare e Marina Leite Marques. 

 

Saiba mais sobre as exploração do GPME no PETAR:

GALERIA DE FOTOS

AC1

B01

B02

B03

B04

B05

B06

B07

B08

B09

B10

B11

B12

B13

B14

B15

C01

C02

C03

C04

C05

D01

D02

D03

D04

D05

D06

D07

D08

D09

D10

D11

D12

D13

D14

D15

D16

D17

D18

D19

D20

D21

D22

D25

D24

D26

D27

D28

D29

D30

5 Comments

  1. Chokito 01/07/2014 at 10:09 - Reply

    Sensacionais as fotos!

  2. Valdirene 01/07/2014 at 16:56 - Reply

    Realmente parece incrível mas novas descobertas em locais tão explorados, demonstra que nosso trabalho pode render muito e muito mais, descobrindo o que a vem lapidando a centenas e milhares de anos. É emocionante.

  3. Jonas 04/07/2014 at 18:33 - Reply

    Excelente trabalho! Parabéns a toda a equipe!

  4. Gianfranco Roncolato 01/12/2014 at 07:47 - Reply

    Parabéns! As fotos são lindas.
    Saudações a todos GPME

  5. Antonio Carlos leão 07/05/2016 at 06:01 - Reply

    Fiqueiemcantado,curioso e intrigado com os vestígios ósseos em processo de fossilização encontrado, gostaria se possivel, saber mais a respeito!

Leave A Comment

*