Ativismo espeleológico: carta aberta do GPME à sociedade

Ativismo espeleológico: carta aberta do GPME à sociedade

Nós, do Grupo Pierre Martin de Espeleologia (GPME), somos uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 19 de março de 1987, com o objetivo de promover o levantamento, mapeamento e documentação das cavidades naturais subterrâneas (cavernas, grutas, tocas, furnas e demais sinônimos regionais), por meio de ações totalmente voluntárias e colaborativas que resultam na geração de dados e informações textuais, cartográficas e fotográficas, com o propósito de dar suporte às iniciativas públicas e privadas visando sua conservação bem como do ambiente socioambiental do entorno.

Considerando que o Brasil passa por um processo eleitoral nacional e regional que pode implicar em mudanças no campo das políticas públicas, vimos por meio deste documento manifestar e reforçar junto à sociedade brasileira a atenção desta ao fato de que as cavernas são ambientes que interagem direta e indiretamente com o que acontece na superfície. As cavernas preservam, por suas características próprias, o patrimônio geológico, biológico, histórico, arqueológico e paleontológico, desde que em equilíbrio constante.

Chamamos a atenção da sociedade para o fato de que qualquer pressão advinda deliberadamente das atividades humanas, seja ela proveniente de práticas agropecuárias, minerárias, extrativistas e industriais predatórias, que não esteja em consonância com os princípios universais que regem as políticas conservacionistas, pode colocar em risco a conservação de cavernas e os ambientes associados a elas.

Entendemos ser da maior importância o fato de o Brasil, sendo signatário dos principais tratados internacionais que visam à proteção dos ambientes naturais e das práticas culturais tradicionais (caiçaras, extrativistas, caipiras, quilombolas, indígenas entre outras) remanescentes que, direta e/ou indiretamente repercutem na proteção das cavernas e dos ambientes associados a elas, deva manter-se fiel a tais princípios.

Lembramos, portanto, a sociedade brasileira da necessidade de manter as conquistas históricas no campo ambiental e que busque sempre aprimorar os instrumentos legais no sentido de ampliar tais conquistas, garantindo, assim, às gerações futuras um ambiente ecológica e socialmente equilibrado que é o substrato da sua própria existência e perpetuação.

Grupo Pierre Martin de Espeleologia

São Paulo, 22 de outubro de 2.018

 

2018-10-22T12:43:38+00:00 Categories: Geral|1 Comment

One Comment

  1. Afonso Figueiredo 22/10/2018 at 19:07 - Reply

    Queridos amig@s espeleólog@s. Excelente iniciativa, seria bom estimular outros grupos a fazer isso. Parabéns pelo manifesto. Assino embaixo. Abração, Afonso.

Leave A Comment

*