Grupo Batucajé do Vale vai animar confraternização de 25 anos do GPME

No dia 17 de março o Grupo Pierre Martin de Espeleologia vai comemorar 25 anos de existência em uma cerimônia solene seguida de jantar comemorativo.

“O evento comemorativo dos 25 anos do GPME será diferente dos aniversários anteriores”, explica Carlos Eduardo Martins, atual presidente do grupo. “Dessa vez, vamos convidar pessoas ilustres e a comunidade do entorno do Petar, que consideramos a extensão de nossa casa. Queremos reconhecer a importância e exaltar as pessoas que sempre abrigaram e auxiliaram o GPME em sua missão, ao longo desses anos”.

Além de diversos representantes da comunidade do Bairro Serra e de Intervales, entre eles diversos sócios eméritos do GPME, temos confirmada a participação de vários integrantes do Grupo Opiliões, fundado por Pierre Martin.

Evento comemorativo dos 25 Anos do GPME

Quando: 17 de março de 2012

Onde: Restaurante da Pousada da Diva, no Bairro da Serra, em Iporanga – SP

Horário: a partir das 17 horas

Convite: R$ 25 (reservas pelo e-mail 25anos@gpme.org.br)

 

Após a cerimônia e jantar, em torno de 21:00 o clima será de festa com a apresentação do Grupo Batucajé do Vale no Camping do Benjamin.

Apresentação do Grupo Batucajé do Vale na Festa do Robalo

A HISTÓRIA DO GPME

Oficialmente, o GPME nasceu no dia 19 de março de 1987, da fusão de dois grupos de espeleologia – o Quatá, formado por espeleólogos da cidade de Quatá, no interior de São Paulo, e o Antodites, formado por jovens da zona leste paulistana e do ABCD paulista.

Como fazia pouco tempo que Pierre Martin havia morrido em um acidente de carro, o grupo recém-criado resolveu homenageá-lo, dando seu nome à instituição. O ato simbolizou um sentimento muito presente naquele momento: meses antes do acidente, Pierre, preocupado com a renovação da espeleologia, passou a transmitir suas experiências e a trocar ideias com dois dos integrantes mais atuantes do Quatá: Roberto Rodrigues e Rogério da Silva Chrysóstomo. A morte de Pierre cortou esse laço, mas a homenagem o eternizou em memória. Três anos após o acidente com Pierre, Rogério Chrysóstomo também viria a falecer em um acidente de carro em São Paulo. Ambos passaram, então, a inspirar as atividades do grupo.

Pouco depois de sua fundação e já batizado definitivamente, o GPME já agregava por volta de 15 integrantes, que atuavam principalmente no PETAR, executando importantes trabalhos, como o levantamento de cavernas dos sistemas Pérolas – Santana e Onça Parda – Morro Preto – Couto. Essa experiência foi fundamental para que, em pouco tempo, o grupo ampliasse sua atuação para outras áreas cársticas do país.

Ao longo desses 25 anos, a dedicação do GPME à espeleologia resultou em importantes trabalhos e atividades ligadas à conservação de cavernas e regiões cársticas, como o mapeamento da Caverna de Santana – a maior do Estado de São Paulo –, da Gruta do Riacho Subterrâneo, em Itu – SP,  a maior caverna de granito do Hemisfério Sul , além de levantamentos espeleológicos em regiões cársticas inéditas, como na Serra do Calcário, em Central – BA, e em Presidente Olegário – MG.

Leave A Comment

*