13ª Expedição GPME Presidente Olegário, MG – 18 novas cavernas descobertas

 

Durante o feriado de 15/11/2018 até 20/11/2018. o GPME realizou a 13ª expedição à região de Presidente Olegário – MG. O objetivo da viagem foi a prospecção de novas cavernas e também a visitação de cavernas antigas descobertas pelo GPME em expedições anteriores. Estiveram envolvidos na expedição membros antigos, novos e aspirantes a membros do GPME. Vale ressaltar que a expedição só se tornou viável devido ao ótimo relacionamento que o GPME vem mantendo com moradores da região. Esses moradores foram responsáveis pela hospedagem, alimentação, condução até a entrada de cavernas ainda não identificadas pelo grupo e inúmeras outras gentilezas.

A viagem teve início em São Paulo e foram percorridos pouco mais de 800 km até a base em que o GPME ficou hospedado por cinco dias. Essa base fica em um bairro rural de Presidente Olegário, porém, é mais facilmente acessada por Varjão de Minas.

Trajeto percorrido até a região.

Durante o primeiro café da manhã, o associado fundador Ericson, usando uma longa mesa com uma falha entre as duas tabuas, apresentou o esquema de onde está o calcário (rocha solúvel propicia a formação de cavernas) e instruiu o grupo por quais locais deveríamos prospectar cavernas.

Mapa geológico mostrando a posição do calcário e algumas cavernas já descobertas pelo GPME.

Imagem de satélite mostrando a morfologia do corpo de calcário e sua enorme extensão de direção NW-SE.

 

Vista do maciço de calcário.

 

1° Dia de Campo

O grupo se dirigiu a porção mais ao norte do maciço explorado nessa expedição, juntamente com um morador da região “Seu Rui”, que disse ter avistado um grande “buraco” na rocha naquela localidade. Segundo o associado Ericson, o GPME ainda não tinha prospectado cavernas naquela porção do maciço.

O grupo se dividiu em duas equipes, uma seguindo na direção norte e outra na direção sul. Na direção sul foram prospectadas seis cavernas, sendo elas: Gruta da Felina, Toca do Raul, Gruta do Jacú, Gruta do Rui, Gruta dos 3 morcegos e Gruta do Ninho. Essas cavernas parecem estar em uma porção mais estreita do maciço, então apresentaram desenvolvimento linear baixo, não ultrapassando os 50 metros. Já na direção norte o maciço, ganha mais volume tanto em altura quanto em largura e foram prospectadas oito cavernas, sendo elas: Gruta Formigueiro, Gruta Maracanã, Gruta da Espuma, Gruta da Barriguda, Gruta do Casulo, Gruta Gêmea, Gruta Primogênita e Buraco do Alto. Nessa porção, as cavernas têm mais desenvolvimento e três delas ultrapassaram os 100 metros de desenvolvimento linear, dessas uma com potencial de ultrapassar 1 km e outra com potencial superior a 500 metros.

Primeiro dia fechando com chave de ouro, 14 novas cavernas!

Imagem com os pontos de GPS das grutas da equipe Sul. Note pela linha vermelha o aumento da largura do maciço.

2° Dia de Campo

A atividade desse dia foi visitar a maior caverna da região, denominada Lapa Vereda da Palha. O grupo foi todo reunido até a casa do Seu Zé Sinhana, que recebeu os associados do GPME de braços abertos e ainda nos presentou com alguns “causos” de sua época de infância.

Depois de uma breve conversa, o grupo partiu em direção a grande e maravilhosa entrada da “Vereda da Paia”.

Grupo reunido na frente da entrada da Lapa Vereda da Palha.

Diga-se de passagem uma paisagem digna de pagina dupla no livro Cavernas no Brasil de autoria do fotografo Adriano Gambarini.

Entrada da Lapa da Vereda da Palha no livro Cavernas no Brasil.

Depois de um dia inteiro de exploração da caverna, o grupo ainda descobriu novos condutos que poderão ser topografados e incorporados ao mapa da caverna.

Associado Ericson se preparando pra subir em uma cascata de escorrimento calcítico. O grupo só observa.

Após o término da atividade na Lapa Vereda da Palha, alguns integrantes do grupo continuaram na região do maciço de calcário e prospectaram mais uma caverna nova, chamada de Gruta das Dobras. Sua entrada de tão pequena passou despercebida pelo grupo, mas, depois de algum tempo, conseguiram entrar na caverna finalmente.

Calcário muito dobrado no interior da caverna e coraloides tipo couve-flor que lembram uma clava.

Imagem com os pontos de GPS da Lapa Vereda da Palha e Gruta da Dobras.

O dia que que seria apenas de visita rendeu de brinde novas galerias e uma nova caverna!

 

3° Dia de Campo

A atividade nesse dia dispensou a utilização de veículos, então o grupo seguiu a pé até a casa do Seu Jair que também é um morador da região que vem recebendo o GPME gentilmente em sua casa desde as primeiras expedições para a região. Depois de uma pequena conversa com Seu Jair e sua família, seguiu-se em direção à entrada da Lapa da Fazenda São Bernardo.

A Lapa da Fazenda São Bernardo também já é conhecida pelo GPME e, como é uma das maiores e mais importantes da região, também foi visitada por todos os membros da expedição que passaram algumas horas nos condutos e salões da caverna.

Conduto da Gruta São Bernardo.

Durante a visita, o grupo também prospectou novos condutos que poderão ser topografados e incorporados ao mapa da caverna.

Após o término da visita à Gruta São Bernardo, o grupo continuou na área e ainda prospectou duas outras novas grutas que foram nomeadas como Gruta Pitoquinho e Gruta do Poço.

Outro dia de visita com direito a brinde, novas galerias e duas novas cavernas!

 

4° Dia de Campo

No último dia de campo, uma equipe já reduzida retornou a casa do Sr. Jair e seguiu sua indicação a respeito de uma gruta próxima à sua casa e na mesma área onde se encontra a Lapa da Fazenda São Bernardo. A cavidade foi encontrada e nomeada Gruta Serpenteada devido ao padrão meandrante do conduto inicial. Nesse dia, além da descoberta dessa gruta, também foi feita a topografia da caverna utilizando o sistema Disto X e Topodroid. Foram marcadas aproximadamente 40 bases que geraram um mapa muito interessante por mostrar que a gruta tem uma parte meandrante seguida por uma parte retilínea.

Topografia da Gruta Serpenteada.

 

Topografia utilizando o sistema Disto X e Topodroid.

 

Imagem com ponto de GPS das grutas visitadas no 3° e 4° dia de campo.

 

Vale ressaltar que a Gruta do Tamanduá Mirim que aparece na imagem acima muito provavelmente é a mesma caverna que em outras expedições foi nomeada Gruta do Neguim (apelido do Seu Jair). Os pontos de GPS e as fotos estão sendo comparados para confirmação.

A Gruta Serpenteada provavelmente faz sistema com a Lapa do Porteirinha, descoberta e mapeada na 4ª Expedição em 2009. Vamos confirmar essa conexão hidrológica na próxima expedição.

Topografia da Lapa do Porteirinha de 2009.

A expedição resultou na descoberta de 20 novas cavernas, continuidades na Lapa Vereda da Palha e Lapa da Fazenda São Bernardo e uma topografia no Sistema DistoX- TopoDroid.  O principal objetivo dessa expedição, mais que superado, era apresentar a região para os novos associados do GPME que vão colaborar com a continuidade do Projeto Presidente Olegário.

Agradecimentos especiais ao Renato Alcino (Presidente da Associação da Vereda da Palha) pelo inestimável apoio organizacional, a toda comunidade da Vereda da Palha pela cessão da Sede Comunitária como campo base, ao Seu Jair & Família pela hospitalidade de sempre, ao Seu Zé Sinhana pela também tradicional hospitalidade e os incríveis causos, ao Seu Rui, Dona Vilma e toda família pela hospitalidade e pelo preparo impecável de nossas refeições e confraternização, ao Seu Sid pela hospitalidade costumeira, e toda comunidade da Galena.

Grande parte do sucesso de nossa expedição se deve a vocês, mais uma vez obrigado!

LOG sintético da atividade:

* 15 a 19 de Novembro de 2018

Presidente Olegário – MG, Região da Vereda da Palha: Gruta da Felina, Toca do Raul, Gruta do Jacú, Gruta do Rui, Gruta dos Três Morcegos, Gruta do Ninho, Gruta Formigueiro, Gruta Maracanã, Gruta da Espuma, Gruta da Barriguda, Gruta do Casulo, Gruta Gêmea, Gruta Primogênita, Buraco do Alto, Gruta das Dobras, Gruta Pitoquinho, Gruta do Poço, descoberta, exploração, plotagem, documentação fotográfica e videográfica.

Presidente Olegário – MG, Região da Vereda da Palha: Lapa da Vereda da Palha e Lapa da Fazenda São Bernardo, exploração com descoberta de novos condutos e documentação fotográfica e videográfica.

Presidente Olegário – MG, Região da Vereda da Palha: Gruta Serpenteada, descoberta, exploração, plotagem, topografia digital e documentação fotográfica.

GPME: Antonio Fábio Gomes, Ericson Cernawsky Igual, Fabio Bustamante, Fernando Silva Ávila, Gustavo Carnevalli, Marcel Trabulsi, Matheus Fioravante Tschege, Renata Cristina Cicolin, Sueli Carneiro Peres e Thaís Graciano.

Participação: Erika Matzick e André Souto.


Saiba mais sobre a atuação do GPME e  instituições parceiras em Presidente Olegário:

Grupo Pierre Martin de Espeleologia é homenageado em nova espécie cavernícola – Girardia pierremartini

Teto Baixo n° 1: Boletim eletrônico do GPME – Grupo Pierre Martin de Espeleologia (2009) – Relatos da 1ª a 4ª Expedição

Teto Baixo n° 2: Boletim eletrônico do GPME – Grupo Pierre Martin de Espeleologia (2011) – Relatos da 5ª e 6ª Expedição

Vídeo da 9ª Expedição Presidente Olegário – Setembro 2013

Vídeo da 10ª Expedição Presidente Olegário 2013 – 2014

Expedição de comemoração de 10 anos em Presidente Olegário (MG)

11ª Expedição Presidente Olegário, MG – Breve relato e galeria de fotos

9ª Expedição Presidente Olegário, MG – Setembro de 2013 (Galeria de fotos)

8ª Expedição Espeleológica Presidente Olegário, MG – Breve relato e galeria de fotos n° 1

8ª Expedição Espeleológica Presidente Olegário, MG – Galeria de fotos n° 2

7ª Expedição Presidente Olegário – De 05 a 09 de Março de 2011

Fotografia do GPME é uma das vencedoras do IV Concurso Internacional de Fotografía de Flora y Fauna Cavernícolas (Espanha)

Artigos e resumos do LES-UFSCar (Laboratório de Estudos Subterrâneos – UFSCar):

Two new species of freshwater flatworms (Platyhelminthes: Tricladida: Continenticola) from South American caves (Artigo sobre a Girardia pierremartini, que faz homenagem ao GPME)

Ictiofauna da área cárstica de Presidente Olegário, estado de Minas Gerais, com ênfase nas espécies subterrâneas

Sharing the space: coexistence among terrestrial predators in Neotropical caves

Influence of substrate on the richness and composition of Neotropical cave fauna

Inventário preliminar da comunidade aquática microbiana e de macroinvertebrados em cavernas de Presidente Olegário, Minas Gerais.

Dissertações de Mestrado LES-UFSCar (Laboratório de Estudos Subterrâneos – UFSCar):

Zonação e estratificação da fauna subterrânea de Presidente Olegário, noroeste de Minas Gerais. 2015


Galeria de fotos:

Leave A Comment

*