Atividade didática com mais cavernas mapeadas e descoberta em Intervales no feriado de 02 de Novembro

Seguindo a mesma linha da penúltima saída realizada em 12 a 14 de Outubro, no decorrer do feriado de 02 a 04 de Novembro repetimos atividade técnica de cunho didático, aonde novos associados, a maior parte alunos formados no CBC (Curso Básico de Caverna) GPME, coordenaram os trabalhos, com a supervisão de associados mais experientes, tendo como objetivo a documentação de cavernas, dessa vez mais próxima da sede do Parque Estadual Intervales, por conta das fortes e ininterruptas chuvas dificultando o acesso as estradas para as cavernas mais distantes.

Os trabalhos iniciaram cedo na sexta feira, dia 02, a escolhida foi a Gruta do Xaxim, localizada ao lado da Trilha da Roda D´água, uns 300 metros após esse atrativo, saindo do Monte Rosa e subindo a trilha sentido à Sede do Parque. A Gruta do Xaxim, pequena cavidade mapeada analogicamente em 2010, está localizada aproximadamente 40 metros da trilha principal, um pequeno curso d´água atravessa seu interior, dividida basicamente em duas partes, conduto do rio e galeria lateral superior com vários pontos de comunicação. Nesse dia a equipe foi de apenas três pessoas, os demais chegariam ao final da tarde para aa atividade do dia seguinte.

Topografia analógica da Gruta do Xaxim realizada em 2010.

Esse mapeamento foi uma ocasião muito importante, em especial por conta de um erro de processamento do Sistema DistoX – TopoDroid!

Pode parecer contraditório um erro ser considerado importante, mas o fato é que em nenhuma ocasião anterior isso havia acontecido, e melhor que tenha sido em uma cavidade pequena, de fácil acesso, próxima, que pode ser repetido tranquilamente em atividade futura, e que a partir dessa experiência temos conhecimento que esse tipo de erro pode ocorrer e estamos compreendendo o que motivou para que não ocorra em atividades futuras, em locais de acesso mais complexo, distante e em cavidades de maior porte.

De forma resumida, o erro consistia na inversão de azimute de algumas bases, inviabilizando o resultado como um todo. Tentamos uma “gambiarra corretiva”, mas com o acumulo de erros e o prolongamento excessivo do tempo de atividade optamos por encerrar e refazer por completo em outra ocasião.

Seguindo exemplo do quesito topografia, a relocalização da entrada também foi muito didática, colocamos conhecimentos de GPS e uso de bussola a prova, felizmente com sucesso!

Além disso, agregamos a observação espeleobiológica no conjunto de tarefas, e a Gruta do Xaxim se mostrou rica em fauna, com grande quantidade de aranhas, opiliões, morcegos, grilos, moscas, conchas, etc…

No dia 03, sábado, com a equipe completa, escolhemos a Gruta Minotauro II, localizada próxima da estrada sentido Guapiara, com inicio da trilha uns 500 a 600 metros após o portal do parque, acesso em trilha de aproximadamente 200 metros. Como o próprio nome indica a cavidade possui uma pequena rede de galerias labirínticas, além de pequenos salões e vários acessos ao exterior. Um pequeno curso d´água atravessa a porção mais baixa da cavidade desaguando em riacho de maior volume 30 metros abaixo.

Ciente dos problemas apresentados pelo Sistema DistoX-TopoDroid no dia anterior a equipe seguiu “vacinada” e os dados foram obtidos com total precisão. Dada à complexidade do desenho e detalhamentos esse mapa foi concluído no dia seguinte, domingo, 04 de Novembro, com a adesão de mais dois integrantes na equipe.

Imagem da topografia da Gruta Minotauro II efetuada no Sistema DistoX-TopoDroid.

Também foram realizadas observações espeleobiológicas, com inúmeros exemplares de aranhas, opiliões, percevejos Zelurus sp., grilos, conchas, fezes de aves nas claraboias, moscas, entre outros, na zona de entrada da gruta. Foram observados aranhas e opiliões na zona intermediária, e também foram avistados morcegos voando sem formar colônias em um dos poucos salões da gruta com zona afótica, com guano fresco de hematófago no chão.

Nos dois dias o trabalho de relocalização seguiu o mesmo procedimento do dia anterior, seguindo os conhecimentos de GPS e uso de bussola, dessa vez a partir da sede do Parque Estadual Intervales, mais uma vez com sucesso!

E no domingo, em paralelo, uma rápida prospecção nos arredores revelou a descoberta de uma pequena cavidade denominada Toca Peri-Guari em alusão ao pequeno tamanho e ao canto de um Pitiguari nos arredores.

Bom, essa cavidade ganhou uma denominação em sinonímia, mas a boa educação não permite a divulgação… Dada às pequenas dimensões, menos de 10 metros, um integrante da equipe fez um ensaio de mapeamento no Sistema DistoX-TopoDroid em solitário, alcançando o objetivo por completo. 🙂

Imagem da topografia da Toca Peri-Guari efetuada no Sistema DistoX-TopoDroid.

No aspecto espeleobiológico a Toca Peri-Guari está totalmente associada à fauna do exterior, não possui Zona Afótica.

O balanço geral da atividade foi muito positivo e o objetivo didático alcançado. Além das atividades gerais do grupo mantemos esse fluxo de atividades didáticas a fim de ampliar a experiência dos alunos e novos associados, o GPME valoriza a qualificação interna, e acredita que com a democratização do conhecimento pereniza a própria existência do grupo e a continuidade de seus objetivos de proteção do patrimônio espeleológico e como fruto novas lideranças técnicas estão surgindo a partir dessa filosofia, novas gerações de espeleólogos em formação.

 

LOG sintético da atividade:

* 02 a 04 de Novembro de 2018

Parque Estadual Intervales, Região do Monte Rosa, Iporanga, SP: Gruta do Xaxim, relocalização, plotagem, exploração, topografia digital e documentação fotográfica. 

Parque Estadual Intervales / Zona de Amortecimento, Guapiara, SP: Gruta do Minotauro II, relocalização, plotagem, topografia digital e documentação fotográfica. Toca Peri-Guari, prospecção, plotagem, topografia digital e documentação fotográfica.

GPME: Jaqueline de Almeida Samilla, Jéssica Alves de Oliveira, Matheus Fioravante Tschege, Irene Alves Ribeiro, Ericson Cernawsky Igual, Lúcia Shimabukuro e Gustavo Carnevalli.

Participação: Rafael Barros dos Santos

Galeria de fotos:

 

Saiba um pouco mais sobre a atuação do GPME em Intervales:

Novas cavernas mapeadas em Intervales no feriado de 12 de Outubro de 2018

Intervales 30/09 e 01/10/2017: Breve relato e galeria de fotos

Quatro novas cavernas descobertas na área de amortecimento do Parque Estadual Intervales: Relato e galeria de fotos (07 e 08 de Junho de 2014)

Expedição Paiva revela 33 novas cavernas na área de amortecimento do Parque Estadual Intervales

Gruta dos Paiva ultrapassa 4 km com novas descobertas pelo GPME – Galeria de fotos

Novas cavernas descobertas e mapeamentos na Zona de Amortecimento e interior do Parque Estadual Intervales: 12 e 13 de Outubro de 2013

Intervales 24 e 25 de Agosto de 2013: Breve relato e galeria de fotos

Intervales, 15 e 16 de Junho: Breve relato e galeria de fotos

Relatório: Topografia da Gruta dos Rodrigues, GPME 2013 (27 e 28 de Abril) – Galeria de fotos

Galeria de fotos: Atividades topográficas no Parque Estadual Intervales – De 02 a 04.11.2012

Relatório de Atividades e Galeria de Fotos Parque Estadual Intervales – Feriado de 1° de Maio de 2012

Relatório de Atividades GPME Carnaval 2012 – Parque Estadual Intervales

Parque Estadual Intervales: Relatório de Atividades 13 e 14 de Agosto de 2011 – Gruta Colorida, Gruta da Água Luminosa e participação na Tradicional “Festa em Louvor a Nossa Senhora da Penha” e “Dança de São Gonçalo”

Levantamentos topográficos em Intervales (Carste 2009 – III Encontro Brasileiro de Estudos do Carste)

Curso de Técnicas Verticais em Intervales

Participação ativa do GPME no Plano de Manejo do Parque Estadual Intervales

54% das cavernas turísticas de SP estão fechadas. Anexo Nota do GPME com topografias

Saiba mais sobre Intervales:

PANORAMA ATUAL DA REGIÃO DO PARQUE ESTADUAL INTERVALES (PEI) E SUA ZONA DE AMORTECIMENTO (ZA): SITUAÇÃO MINERÁRIA, ESPELEOLÓGICA, GEOLÓGICA E DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO.

O carste no plano de manejo do Parque Estadual Intervales e zona de amortecimento, Estado de São Paulo, Brasil

Leave A Comment

*